terça-feira, 15 de novembro de 2011

Parashá Chayei Sarah [Gênesis 23:1-25:18] - Baseada Nos Ensinos Breslev!!!





Comentário Breslev da Porção semanal da Torah
             Parashá Chayei Sarah [Gênesis 23:1-25:18]                                    

Pesquisa – Tradução – Adaptação: Yashar David – Moré

RESUMO:
                                                                                                                     
                        A Parashá desta semana é chamada de “Chayei Sarah – A Vida de Sara”. Iniciaremos recapitulando: Em nossa última Parashá, Hashem veio cumprir com Sua promessa de dar a Avraham e Sarah um herdeiro. Porém, 37 anos mais tarde, é dado para Avraham um último e verdadeiro “Teste de Fé”. Ele é ordenado a sacrificar Itzchak. Justo quando Avraham estava a ponto de baixar a faca, um malach (anjo) aparece e contem o golpe em tempo. Nossa Parashá inicia no momento em que Avraham retorna a sua casa, para sua tenda em Beer Sheva. Sarah não estava em casa e parece que ela seguiu pela estrada até Chevron (Hebron) para saber sobre o sacrifício de seu filho querido.

            A Parashá começa citando o passamento de nossa matriarca Sarah, na idade de 127 anos, e a busca de nosso patriarca Avraham (Abraão) por um local apropriado ao seu descanso e que fosse digno de sua grandeza.
           
            Avraham recusa-se a aceitar a generosa oferta de Efron (um membro da nação hitita que vivia na terra de Israel) de dar-lhe Mearat Hamachpelá, na cidade de Chevron, sem custo algum. E Avraham termina por pagar uma enorme soma de dinheiro pelo lote, onde finalmente sepulta sua amada esposa.

            Avraham envia seu fiel servo, Eliezer, de volta a seu país de origem e à sua família, a fim de encontrar uma esposa conveniente para casar com Itzchak.



            Chegando à cidade de Aram Naharaim, Eliezer alinhava um plano pelo qual conseguirá selecionar uma moça recatada e generosa, apropriada para o filho de seu amo. Eliezer reza a D'us, para que Ele lhe conceda sucesso nesta missão, fazendo o plano funcionar: “ele decide ficar à beira do poço da cidade, esperando que uma moça lhe ofereça, e a seus camelos, água para beber”. Esta pessoa, pensou ele, que dar-se-ia ao trabalho de servir água para um estranho, e seus dez camelos, indo além do cumprimento do dever, certamente possuiria um grande caráter de bondade. Então surge Rivka, [Rebeca] e esta, passa pelo teste, e após receber presentes enviados por Avraham, ela leva Eliezer à casa de seu pai. Eliezer conta os eventos do dia à família da moça e pede a Rivka que volte com ele para desposar Itzchak. Ela aceita, e eles se casam.

            Com o papel de Avraham, como pai do povo judeu, completo e o manto da liderança passado à próxima geração, a porção é encerrada com uma breve genealogia dos outros filhos de Avraham com sua esposa Keturá (que muitos comentaristas afirmam ser na verdade Hagar) e seu passamento com a idade de 175 anos.


Comentário Breslev  da Parashá!

***        
                                                             
            "E o campo com a sua cova [cova de Machpelah] foi confirmado a Abraão, como uma propriedade para local de enterro, pelos filhos de Hete." (Gênesis 23:20)

            Os incidentes e as leis mencionadas na Torá, são normalmente descritos com laconismo.

            Detalhes significativos, não são sequer mencionados na Torá Escrita, porém, estão incluídos na tradição oral, que, em gerações posteriores, foram registrados no Midrash/Talmud.

            No entanto, a Torá descreve, em detalhes, como Abraão obteve o local do enterro de sua amada esposa, justa e santa, a mãe de toda a nação judaica, Sarah.

            Surge então uma pergunta??? Por que a Torá sai do estilo habitual, e descreve com detalhes a compra do local de sepultamento da família de Abraão? A elaboração do texto da Torá aqui, indica,  que há muito conhecimento a ser adquirido por meio da análise desse episódio.

            Baseado nas descobertas de Rabi Nachman e seu discípulo Rav Natan, vamos concentrar-nos sobre alguns dos aspectos desse episódio, e veremos que estes detalhes, nos darão conselhos práticos, que afetarão diretamente a nossa vida diária.

O FOCO DA TORAH SOBRE O “ELEMENTO TERRA”!

            Existem quatro elementos básicos que D'us, O Sagrado Abençoado Seja, usou na criação do mundo físico; água, fogo, ar e terra. Porém, grande parte dos fundamentos da Torá, giram em torno do elemento terra.

            Os primeiros versículos nos dão uma compreensão de como o elemento Terra, está relacionado com vários aspectos da Criação. Vejamos; "No princípio D'us criou o céus e a terra." (Gênesis 1:1) A Torá também descreve: como o homem foi criado da terra, "D'us formou o homem do pó da terra". (Gênesis 2:7); ​​D'us, O Sagrado Abençoado Seja, prometeu aos três patriarcas que Ele lhes daria a terra de Israel, como uma herança para sempre; Vemos que os judeus saíram do Egito e viajaram pelo deserto com o objetivo de chegar à Terra Prometida -  episódio que se estende por quatro dos cinco livros da Torá. Além disso, a Torá contém muitas leis que dizem respeito especificamente a terra.

            A terra é tão preciosa, que milhões de soldados morreram e morrem em combate ao longo dos séculos, para conquistar ou defender as terras. Compramos, vendemos, e trabalhamos, e tudo gira em torno  da terra.

            Quando uma pessoa está longe de sua terra, ela anseia por sua terra natal.  E por fim,  o nosso lugar de descanso final é no chão, na Terra. 

            No entanto, apesar de tão preciosa a terra também expressa inferioridade, por assim dizer.

            Entendamos melhor; a Terra é composta por minúsculos grãos, que não têm nenhum valor real. Nós pisamos diariamente a terra, sem dar-lhe nenhum valor. Consideramos sujo e repulsivo, uma minúscula poeira, qualquer vestígio de terra em uma casa, deve ser eliminado e varrido. Assim, vemos que a Terra reflete dois extremos, sendo de grande valor, por um lado e de pouco valor por outro.

***



EFRON ESTAVA LIGADO AOS ATRIBUTOS NEGATIVOS DA TERRA, ABRAHAM AOS ASPECTOS POSITIVOS!

            Abraão comprou o local do enterro conhecido como a caverna de Machpela. Este é considerado um dos mais sagrados locais do mundo, comparável ao Templo em Jerusalém.     

        Antes de uma alma entrar no paraíso é preciso passar por esta caverna, que é uma manifestação física da porta de entrada para o Gan Éden. Rashi nos diz que esta caverna é chamada Machpela, (do hebraico: k'ful, que significa dobrado), isto porque, quatro casais estão enterrados lá (Adão e Eva, Abraão e Sara, Isaac e Rebeca, Jacó e Lia) e porque é composto de duas câmaras.

            Abraão comprou a cova de Machpela dos heteus, conhecido como Efron. A raiz da palavra é Efron é “ahfar”, que significa solo. O Talmud nos diz que o nome de qualquer item da criação,  nos diz tudo sobre sua natureza. Portanto, o nome de Efron, refere-se à sujeira, e nos diz muito sobre o seu potencial.

            Ora, Efron poderia ter escolhido conectar-se com os aspectos sagrados das energias espirituais da Terra, mas, em vez disso, ele escolheu a maldade, como evidenciado na Torá, quando relata sua discussão de negócios com Abraão acerca da aquisição da caverna. Ele fez um verdadeiro show, na frente de todas as pessoas, tentando mostrar como ele era generoso – ele queria que todos acreditassem que ele estava dando a Abraão a caverna, como um presente, quando, na realidade, ele estava exigindo um pagamento muito superior.

             Efron, assim, extraia sua força espiritual das energias espirituais da serpente primordial, como o verso diz: "...e pó [sujeira] será a comida da serpente." (Isaías 65:25) Este versículo nos diz, que as energias espirituais negativas contidas no elemento terra, são associadas com as formas de impureza, ligados às propriedades espirituais que alimentam a serpente, a fonte de todo mal.

            Efron estava anexado aos atributos negativos da essência espiritual da terra. Abraão, porém, fazia sair da terra as energias espirituais positivas. Podemos afirmar isso, quando  Abraão diz de si mesmo; "Eu [Avraham] sou apenas  pó e cinzas". (Gênesis 18:27) A declaração de Avrahan, foi feita em oração, e demonstra que a sua grande humildade, revela que ele estava ligado a essência espiritual  positiva da terra.

            Muitos dos versos contidos na Torá, revelam os mecanismos espirituais e atributos de  itens físicos da criação. Devemos entender de uma vez por todas que a “matéria” é como uma luva que nos permite manipular e lidar com a espiritualidade. Neste caso, as propriedades físicas do elemento terra, é uma luva que detém a propriedade espiritual da fé, fortalecendo a fé de uma pessoa em D'us, o Sagrado Abençoado Seja!

            Como diz o versículo, "Tenha fé em Adonai e faça o bem; assim você habitárá na terra e te alimentarás com segurança." (Salmos 37 : 3) Ou seja, a manifestação da propriedade espiritual da Terra e seus beneficio, dependem da confiança e do crescimento espiritual. Pois nada pode crescer sem conexão com D'us, o Sagrado Abençoado Seja.

***

PARA REALIZAR QUALQUER META ESPIRITUAL, É PRECISO PRIMEIRO ENCONTRAR E NEUTRALIZAR AS FORÇAS DO MAL QUE CERCAM E DIFICULTAM O ACESSO A SUA SANTIDADE

            Há um princípio espiritual para se atingir a elevação da alma.

            Antes de tudo, a primeira coisa a fazer é remover a "casca externa", para obter o "fruto".  

            O que isto significa? Para atingir qualquer meta espiritual, é preciso primeiro encontrar e neutralizar as forças do mal, que nos cercam e obstruem o acesso à santidade.

            Tudo começa com a escolha. Podemos nos contentar com a "casca", isto é, desfrutar do materialismo animalesco, ou ganhar a recompensa do "fruto" que é a conexão espiritual com D'us o Sagrado abençoado Seja.

            Na verdade, como já vimos em comentários anteriores o objetivo das “cascas” [o materialismo grosseiro] é criar filtros espirituais, que permitam a uma pessoa, tolerar a luz mais brilhante do nível seguinte. Portanto, D'us, o Sagrado Abençoado Seja, revelou a Avraham que ele teria que encontrar a Efron, que estava espiritualmente poluído (a "casca") para adquirir a caverna de Machpela de forma sagrada, podendo então comer (o "fruto").

***

É ESSENCIAL PARA OS JUDEUS MANTER O CONTROLE DA TERRA SANTA, ESPECIALMENTE OS LUGARES SAGRADOS

            D’us, o Sagrado Abençoado Seja, conduziu Avraham na aquisição da caverna de Machpelá [portão para o Gan Éden], ao invés de qualquer outro homem, simplesmente porque Abraão, possuía as energias espirituais positivas da terra, desta maneira ele detinha o poder de  neutralizar as energias negativas de Efron que obstruíam o acesso a árvore da Vida.

            Rav Natan ensina que as posses de uma pessoa, especialmente as posses imobiliárias, contêm parte de sua alma.

            A alma de Efron era impura e servia para diluir e eliminar as energias espirituais emitidas pela caverna de Machpelá. Quando Abraão adquiriu a caverna, sua alma sagrada associada com o elemento terra, fundiu-se com as energias espirituais da caverna.

            Veja, que grande revelação! O Talmud designa Abraão como "chefe entre aqueles que têm fé em D’us", então a energia espiritual de Abraão provocou a energia espiritual pura da fé, fazendo-a brotar, como qualquer árvore que cresce na terra. Assim, o espírito  as "energias que emanam da caverna de Machpelá, foram dissociadas da falta de fé e impureza  de Efron e conectada à fé de Abraão, que eventualmente teria com objetivo, influenciar todas as outras almas no mundo, inspirando-as a ter fé no Único D'us, o Sagrado Abençoado Seja, (porque a alma de cada pessoa passa através da caverna depois de sua morte).

            Agora podemos entender, porque a Torá ordena que a terra de Israel, permaneça de posse exclusiva do povo judeu. A alma de cada judeu está enraizada na santidade e, portanto, quando os judeus possuem qualquer parte da terra de Israel, isto faz com que as propriedades espirituais positivas que estão contidas na Terra Santa, floresçam.  

            É espantoso, como em nível físico, esta verdade tem sido evidenciada ao longo dos últimos dois milênios.  Veja como o fato da ausência de uma grande presença judaica na Terra Santa, resultou não só em sua decadência e ruína, como na do mundo inteiro.

            Só depois, que um grande número de judeus retornou para Israel é que milagrosamente, a terra começou a florescer e florescer.

            A posse da Terra Santa, por qualquer outra nação polui as energias positivas espirituais do solo sagrado, pois as outras nações não estão enraizadas na santidade.

             Mesmo em nossos tempos, é essencial que os judeus  mantenham o controle sobre a Terra Santa, sempre que possível -. especialmente os locais sagrados, como a caverna de Macpela e Jerusalém - a fim de que as energias positivas espirituais que são encontrados lá, sejam liberadas para produzir efeitos positivos no mundo inteiro.

            [Nota: Isso se aplica mesmo nos momentos em que não temos um Templo ou outros instrumentos espirituais, pois Abraão também realizou esta tarefa sem o Templo.]

            Agora podemos entender Abraão a terra e a fé, como lemos acima, "Tenha fé em Adonai e faça o bem; assim você habitará na terra e te alimentarás com segurança." (Salmos 37 : 3) A terra é uma manifestação da fé de Abraão em D'us, o Sagrado Abençoado Seja!  

            Quando os três anjos visitaram Abraão, e lhes ofereceu água para lavar seus pés, pensando, que eles eram adoradores de ídolos, que adoravam a impureza, “sujeira” dos seus pés. (Rashi)

            Isto nos informa que o “pó da terra”, está associada com a fé. Neste caso particular, foi o aspecto negativo da fé, a idolatria.

            Este episódio indica que Abraão trabalhava para purificar o mundo da adoração a  ídolos.

            Outro exemplo de ligação de Abraão com o elemento terra, como relatado pelo Talmud, ocorre durante sua perseguição aos quatro reis, que tinham capturado o seu sobrinho, Ló.


            Como uma arma, Abraham jogou o pó da terra no exército inimigo.  A intensa fé de Abraão em D'us, o Sagrado Abençoado Seja,  ativava as energias espirituais da fé contida na terra, dando-lhe acesso às raízes espirituais do pó da terra. Isto lhe permitiu manipular a forma física do elemento, transformando-o em milhares de flechas e lanças, que aniquilaram seus adversários. Milagres como esse são possíveis porque todos os itens físicos têm um denominador comum, a luz Divina. Assim, Abraão, que, por causa da sua grande fé, sabia como manipular esta luz, ele foi capaz de realizar esse grande milagre.

            Agora podemos entender porque a Torá entrou em grandes detalhes ao descrever a compra da caverna de Machpelá. Como mencionado acima, a caverna de Machpela é a passagem para o paraíso espiritual. Esta ênfase na compra de Abraão da caverna ensina que a única maneira  possível  de entrar pelo portão e  alcançar o paraíso é por meio da fé, da crença  de Abraão, ou seja, como e em quem Avraham Creu.

            No nível alegórico, este incidente poderia ser entendido da seguinte forma: Abraão (fé em D'us) adquiriu a caverna (Paraíso) através de seu encontro com Efron (falta de fé, as forças do mal).

            Isto significa que é preciso primeiro dominar as forças do mal e superar a tendência da falta de fé, para então fortalecer a sua fé em D'us, aderido aos desejos de d'Ele, a fim de ter acesso ao paraíso. (Lekutai Halachoth: Orach Chaim: Hilchoth Tefilin 5:40)

***

ABRAHAM APERFEIÇOOU  AS PROPRIEDADES ESPIRITUAIS DA TERRA: FÉ E HUMILDADE

            Como descrevemos acima, Abraham aperfeiçoou as propriedades espirituais contidas no elemento terra, atingindo o nível mais alto possível da fé. Existe ainda um outro aspecto ainda mais altos associados com a terra - o traço da humildade. Este aspecto foi aperfeiçoado por meio de Moisés, como o versículo diz: "Moisés era muito humilde, mais do que qualquer homem  sobre a face da terra." (Números 12:03)

            A Terra contém a propriedade da humildade, como é dito; "Ele [D’us] abate os que habitam no alto, na cidade elevada; humilha-a, humilha-a até ao chão, e derruba-a até ao pó da terra. (Isaías 26:5)

            O mais alto nível espiritual de todos é o atributo da humildade. Rabi Nachman ensinou que a humildade tem o poder de aproximar as coisas que estão longe. “Um homem humilde é capaz de atrair a D'us, as pessoas, o sustento e bênçãos para mais perto de si. (I Lekutai MoHaran 70)

            É impossível se unir a D'us, o Sagrado Abençoado Seja, a menos que o homem seja verdadeiramente humilde. Quanto mais, a pessoa se humilha neste mundo, isto é,  aderindo à vontade de D’us, mais ela se funde com D'us e elimina a poluição grossa do materialismo contido pelo corpo. Quanto mais o materialmente orienta a pessoa, mais seu corpo se apega a este mundo e maior será a barreira erguida entre D'us e o individuo.

            Moisés purificou seu corpo a tal ponto, que eliminou completamente a rudeza material do seu corpo.

            Portanto, imediatamente após a sua morte, Moisés tornou-se fundido com o mais alto nível a partir do qual se pode experimentar a D'us, o Sagrado Abençoado Seja.

            Aquelas pessoas que não são tão bem sucedidos como Moisés em eliminar as impurezas espirituais do corpo, certamente passará por um processo de limpeza muito doloroso. Este processo ocorre com o corpo na sepultura e é experimentado pela alma, este grande sofrimento da  alma, por sua vez, elimina a poluição que não foi eliminado em vida possibilitando  a alma de ser unir em fim a D'us, o Sagrado Abençoado Seja.  

            Rabi Nachman ensinou que D'us, o Sagrado Abençoado Seja, trata da pessoa, da mesma maneira que uma pessoa lida com D’us, o Sagrado Abençoado Seja. Se a pessoa se humilha, tentando fundir sua alma com D’us, o Sagrado Abençoado Seja, acatando sua Torá, sem “porquês”, fazendo-se pequeno, diante da Grande Sabedoria da sua Torá revelada nos ensinos de nossos sábios, a Shechiná [Presença Divina], pode descansar sobre este homem mesmo ele sendo um mero mortal, assim este individuo se tornará sensível e facilmente perceberá a D'us, o Sagrado Abençoado Seja.

            No entanto, se uma pessoa trabalha para engrandecer a sua própria honra pessoal, D'us, o Sagrado Abençoado Seja,  leva esta pessoa a expandir, crescer muito, até o ponto que ela se torna tão grande, que fica distante e incapaz de perceber D’us, o Sagrado Abençoado Seja.

            Quando D'us, o Sagrado Abençoado Seja, revela a grandeza de Sua Glória, a pessoa é incapaz de tolerar sua pequenez e é varrida pela grandeza de D'us, o Sagrado Abençoado Seja, isto pode levar o individuo a destruição.

            Ora, não foi justamente isto que causou a destruição do Templo. A estrutura do Templo podia conter apenas a Glória Divina, em proporção à humildade do povo. Quando o povo tornou-se orgulhoso, o Templo de pequeno porte, não poderia conter um D'us infinito Quem expandiu a Si mesmo, de acordo com o orgulho do povo. Quando isto aconteceu o Templo espiritualmente explodiu, e mais tarde se manifestou na destruição física do templo, porque ele já não era mais capaz de conter a grandeza Divina. (I Kitzur Lekutai MoHaran 119)

***

Reações: