quinta-feira, 5 de abril de 2012

Visão de Rabeinu Nachman de Breslev ZT'L (Chayey Moharan # 83) - Diga isso aos seus Filhos!

Visões de Rabeinu Nachman de Breslev ZT'L
Tradução e Adaptação: Gabriel Yosef Ben Yashar


Diga isso aos seus Filhos

Vou lhe contar o que vi. E você diga isso a seus filhos.

Alguém estava deitado no chão e em torno dele as pessoas estavam sentadas em um círculo. Em torno deste círculo tinha outro círculo, e em torno desse círculo tinha outro, e assim por diante - muitos círculos. Em seguida, ao seu redor estavam sentados ainda mais pessoas em nenhuma ordem particular.

O primeiro estava sentado no meio e estava se inclinando para o lado e movendo os lábios, e todos aqueles ao redor estavam movendo seus lábios depois dele. Mas quando olhei de novo, o do meio não estava lá e todos aqueles que se sentam ao redor já não estavam movendo seus lábios. "O que é isso?" Eu perguntei. Eles me disseram que ele havia ficado gelado e tinha parado de falar.

Após isso, eles todos começaram a correr e eu corri atrás deles. Eu vi dois palácios - muito Bonitos, belas construções. Sentado lá tinha dois comandantes. Todo mundo correu para estes dois comandantes e começou a discutir com eles. "Por que vocês nos engana?" Eles queriam matá-los.

Os comandantes fugiram. Corri atrás deles e vi uma tenda bonita à distância. De lá, algo falou aos comandantes: "Vire para trás e procure todos os seus méritos Leve-os em suas mãos e vá para a luz que paira lá, pois lá, vocês vão conseguir tudo o que desejam.".

Os comandantes viraram e tomaram os seus méritos - havia pacotes de méritos lá - e correram para a luz. Corri atrás deles e vi uma luz brilhando suspensa no ar. Os comandantes foram e jogaram seus méritos à luz. Da luz, faíscas caíram em suas bocas. Em seguida, a lâmpada - NER - se transformou em Nahar , um rio. Todo mundo bebeu do rio, até as criaturas formadas dentro deles. Quando começaram a falar, estas criaturas saíram deles: eu os vi correndo e voltando. Elas não eram nem homens nem qualquer tipo de animal - apenas criaturas.

Após isso, eles decidiram voltar para palácio, mas eles disseram: "Como podemos voltar ao palácio se todos querem nos matar lá?" Alguém disse: "Nós devemos enviar, para aquele que fica lá segurando uma espada que chega do céu à terra." "Mas o que devemos enviar?" eles disseram.No final eles decidiram enviar as criaturas, e as criaturas foram para lá.

Corri atrás deles e vi aquele que fica segurando a espada. Ele era aterrorizante. Ele era tão alto que media do céu à terra. Na sua mão uma espada que também media do céu à terra. Essa espada tinha muitas lâminas. Uma delas era muito forte - usada para matar. A Outra enviava pobreza, enquanto a outra enviava fraqueza. Havia muitas outras lâminas para infligir castigos diferentes.

Eles começaram a argumentar com aquele com a espada: "Nós sofremos em suas mãos por tanto tempo Agora nos ajude a nos levar para o palácio.". "Eu não posso te ajudar", respondeu ele. Eles suplicaram: "Dê-nos a lâmina da  morte, e nós vamos matá-los." Mas ele recusou. Eles pediram uma lâmina diferente, mas ele não queria dar-lhes uma única lâmina, e eles voltaram.

Enquanto isso, aqueles do círculo foram ordenados a matar os comandantes, e eles cortaram suas cabeças. Em seguida, tudo voltou ao que era antes: alguém estava deitado no chão, rodeado por um círculo de pessoas. em seguida, eles correram para os comandantes. tudo como antes.

Mas desta vez, os comandantes não jogaram seus méritos à luz. Em vez disso, eles simplesmente tomaram os seus méritos e foram para a luz e quebraram seus corações, pedindo e suplicando diante da luz. Faíscas caíram da luz em suas bocas. Eles insistiram mais, a luz se transformou em um rio, e as criaturas foram formadas.

Alguém me disse: "Esses irão viver!" Os primeiros mereciam ser mortos por terem jogado seus méritos à luz sem fazer súplicas como os posteriores.

Eu não sabia o que isso significava. Eles disseram: "Vá para aquela sala, e eles vão explicar isso para você." Eu fui, e lá estava um homem velho. Perguntei a ele sobre o assunto. Ele tirou a barba com a mão e me disse: "Minha barba é a explicação do que aconteceu." Eu disse: "Eu ainda não sei". "Vá para aquela outra sala", ele respondeu, "e lá você vai encontrar a explicação."

Eu fui lá e vi uma sala infinitamente longo e larga, totalmente preenchida com escritos. Onde quer que eu abria, via a explicação da história.

Chayey Moharan # 83


Fonte da tradução: Azamra.Org



“Obra realizada com a permissão de D’us, o Sagrado Abençoado Seja!”
 Direitos reservados A BRESLEV BRASIL
A cópia e uso do conteúdo são permitidos apenas com expressa citação da fonte

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário