quinta-feira, 5 de abril de 2012

Parashá Sheminí: (Livro Vayicrá 9:1-11:47) Baseada nos Ensinos de Rabeinu Nachman de Breslev!!!


Parashá Sheminí: (Livro Vayicrá 9:1-11:47)

Pesquisa, tradução e adaptação: 
Yashar David e Shlomo ben Avraham


COMENTÁRIO BRESLVEV DA PARASHÁ

 "Todo o réptil que se move sobre a terra é abominação; não será comido. Todo o que anda sobre o ventre, todo o que anda sobre quatro patas e todo o que tem muitas patas, do todo o réptil que se move sobre a terra, não o comereis, porque eles são abominação.” (Levítico 11: 41-42) [Rashi: Pois comê-los faz com que a alma da pessoa se torne contaminada]

A TERRA E OS ANIMAIS QUE FORAM AMALDIÇOADOS COM ELA

  Nesta Parashá vamos estudar sobre o consumo do animal não - Kosher que se arrasta no chão (hebraico: she'retz) que é o mais espiritualmente contaminando de todos. Esses animais, por sua forte dependência e ligação com a terra são colocados nas mesmas propriedades espirituais que estão contidas na categoria poluente da serpente. Foi a serpente que seduziu Adão para o pecado. O pecado de Adão trouxe infelicidade, confusão e uma maldição em tudo neste mundo, e especialmente para a terra e qualquer coisa associada a ela. O verso diz: "A terra [e qualquer coisa associada a ela] vai ser amaldiçoada por causa de você [Adam)" (Gênesis 3:17). Rashi explica que esta maldição envolve o fato da terra produzir coisas espiritualmente amaldiçoadas e impuras. É por isso que os vermes são repudiados e impuros para nós, pois rastejam sobre a terra espiritualmente amaldiçoada. A terra é o reino da maldição espiritual e do mal, que é o domínio da serpente. O verso diz: "Poeira [da terra] que [a serpente] deve comer, todos os dias da sua vida" (Gênesis 3:14). É a cobra que é a fonte espiritual e conexão com todo o mal que existe neste mundo. O verso diz: "Maldito és tu [a serpente] mais do que todos os animais" (Gênesis 3:14). Este versículo nos informa que a essência espiritual que está contida na cobra e aqueles que estão no seu domínio são completamente maus. Existe uma regra que qualquer coisa que é completamente má não pode ser corrigida. 

Porque não somos capazes de trazer retificação espiritual para a cobra ou qualquer animal em sua categoria, devemos evitar totalmente comer esses animais.  Foi a cobra que convenceu o homem a separar-se de D'us. Todos aqueles que se afastam de D’us são considerados como refugiados e caídos pelo domínio da serpente. Como mencionamos acima, o domínio da cobra é a sujeira da terra.Todos aqueles que têm caído nesta situação são ditos ter sido mordidos pela cobra. Essas pessoas vivem na terra, pois o domínio da cobra são denominados pela Torá como: "aqueles que se encontram na poeira (em hebraico: shochnay - longe)." Este é o reino das forças do mal. 

Uma pessoa que caiu e tornou-se ligada às propriedades negativas da terra, torna-se apenas como a terra. Uma pessoa que está nesta situação adquire o mesmo peso espiritual que se encontra na terra. Aquelas pessoas que ficam presas na terra, tornam-se tão pesadas que são constantemente puxadas para baixo através de todas as situações que elas encontram em suas vidas. Sua visão mental em relação a vida torna-se pesada. Seus padrões de pensamentos são um fardo pesado, assim como a terra é o mais pesado dos 4 elementos básicos. As pessoas que estão presas na terra tornam-se muito preguiçosas quando se trata do trabalho que envolve alcançar realização espiritual, felicidade e crescimento. Eles se tornam pesados com a confusão, preocupação e desespero sobre como obter e manter todas as suas ambições terrenas. Tal pessoa é presa no reino do mal, a terra. A maior ambição de uma pessoa e os objetivos estão ligados à terra. Até que cada um de nós seja capaz de neutralizar o nosso apego à terra, somos todos considerados, cada um em seu próprio nível de apego, "aqueles que encontram-se na poeira."

     SÃO OS JUSTOS E OS AVANÇADOS ESPIRITUALMENTE QUE TÊM O PODER DE RESGATAREM AQUELES QUE SE ENCONTRAM APEGADOS À NEGATIVIDADE DA TERRA

    Todo judeu é considerado aos olhos de D'us como um justo. Cada judeu é, portanto, esperado por D’us para que viva e mantenha os padrões de justiça de D'us. D'us disse ao santo profeta Isaías: "E o seu povo [cada judeu) são todos justos" (Isaías 60:21). É, portanto, o trabalho daqueles que são espiritualmente avançados, e especialmente os “Emet Tsadik” (Verdadeiros Justos) que fornecem para os menos avançados espiritualmente e aqueles que tenham caído no domínio das forças do mal, o alimento que dá vida e é derivado da luz de D'us. O verso diz: Despertai e cantai [com a alegria e apego a D'us] aqueles que habitam no [pó de contaminação espiritual)" (Isaías 26:19) Aqueles que caíram e ficaram presos e são ligados às forças do mal têm uma dificuldade tremenda em extrair-se dessa situação. 

Como eles podem cumprir esse versículo? Portanto, esse versículo nos informa que é de responsabilidade do Tzadik e dos espiritualmente mais avançados fazerem tudo o que é necessário para elevar e despertar todos aqueles que caíram no reino das forças do mal. Também é responsabilidade daqueles que caíram, fazerem todos os esforços necessários para juntar-se aos indivíduos que podem ajudar a retirá-los dessa situação, como o versículo diz: " Melhor estão dois juntos que o solitário, pois melhor será o resoltado do que fazem. "(Eclesiastes 4:9).

            O Tzadik e a pessoa avançada espiritualmente são mais capazes de incentivar aqueles que se encontram no pó. Eles vão mostrar-lhes que D’us está com eles e é facilmente acessível a todos. Como diz o verso: "A terra inteira [mesmo os lugares espiritualmente contaminados] está cheia de Sua Glória" (Isaías 6:3). Além disso, outro versículo diz: "Se um homem se esconder em locais secretos que não Sou capaz de vê-lo, diz D'us. Porventura não Encho Eu os céus e a terra [até o local imundo]?" (Jeremias 23:24).

            A sobrevivência de cada animal é dependente da terra. É esse apego e dependência que faz com que todos os animais da terra sejam proibidos para consumo em seu estado original. Somos capazes de corrigir e consumir esses animais que a Torá tenha designado como permitidos. Esses animais, que são menos gulosos, que mastigam sua ruminação (alimento que é mastigado por uma segunda vez depois que ele é regurgitado do estômago) e têm cascos divididos são mais distanciados da fisicalidade bruta desta terra. Embora estes animais kosher são ligados à terra e se comportem como animais, eles têm algumas centelhas de bom dentro deles que podem ser corrigidas. A retificação envolve conectá-los a D'us e a santidade antes que eles possam ser comidos. Este processo envolve o abate ritual, a remoção de todas as gorduras proibidas, veias, e sangue. Este processo também envolve não comer a carne juntamente com quaisquer produtos lácteos e a recitação de uma bênção antes e depois de comer o animal. Desta forma, a Luz de D'us é injetada no animal kosher e pelo nosso comer o animal de forma adequada, mesmo este tipo de animal humilde é elevado e torna-se ligado ao Santo.

            Aquelas pessoas que caíram na sujeira deste mundo podem ser comparadas ao animal kosher. Eles ainda possuem muitas qualidades redentoras boas, embora possam ter cometido muitos pecados e perderam muito de sua conexão com D'us. É a centelhas do bem que ainda permanece dentro deles que os conecta com D'us. Portanto, um Tzadik pode infundir-lhes com a Luz de D'us. É essa Luz de D'us que pode despertar e causar uma pessoa para, eventualmente, voltar para o lado da santidade. Uma pessoa como esta também pode se tornar kosher e tornar-se unida com D'us.

            Aqueles animais que a Torá define como sendo não - kosher são completamente ligados a esta terra e à poluição espiritual. Alimentos não - kosher provoca contaminação na mente, coração e alma. Alimentos não - kosher são desprovidos de qualquer conexão com a Santidade e, portanto, são proibidos de comer. O processo kosher, mencionado no parágrafo anterior, não é eficaz na santificação dos animais não - kosher, que não têm absolutamente nenhuma conexão com a Santidade e eles nunca podem ser consumidos de forma segura.

            Os animais não - kosher podem ser comparados à nação de Amalek, que, sem motivo atacaram os judeus após o Êxodo do Egito. Foi o intenso ódio de Amalek desprovido de intenções santas, que os levou a atacar os judeus de tal maneira. Esta é uma razão pela qual somos ordenados na Torá para aniquilar completamente a nação de Amalek. Pois eles são completamente maus e não têm absolutamente nenhum desejo de serem ligados ao Santo. Eles não podem ser corrigidos, devido à sua natureza extremamente má. Para evitar sua influência extremamente má de destruir o mundo, a Torá nos ordena a aniquilá-los. Foi Haman, (um descendente de Amalek), mencionado no livro de Ester, que tentou destruir todos os judeus sem ser provocado. 

   Árvores e plantas são ainda mais dependentes e ligados à terra suja do que os animais são. Se este for o caso, por que estamos autorizados a comer frutas? Não deveriam ser os frutos proibidos para nós mais do que os animais? Frutas possuem outra qualidade positiva que está faltando nos animais. Todas as árvores e vegetação são diretamente dependentes da chuva para o seu crescimento e sobrevivência. A água contém as propriedades espirituais de crescimento, produtividade, e o conhecimento de D'us. O verso diz: "A terra será cheia do conhecimento de D'us, como as águas cobrem o mar" (Isaías 11:9). Embora as frutas e vegetais são fortemente dependentes do solo, eles têm um outro canal através do qual recebem a Luz de D’us, diferente dos animais.

  Teoricamente, se um verme vive em uma fruta que nunca tocou no chão, o verme deveria ser permitido para consumo. Pois bem, os vermes são permitidos para consumo nesta situação, porque atraem faíscas de santidade para si enquanto eles permanecerem como parte das frutas. Enquanto os vermes permanecem em qualquer fruta colhida, eles são capazes de receberem a Luz D’us e são, por conseguinte, permitidos para serem comidos nesta situação. Enquanto os vermes permanecem na fruta colhida, eles estão ligados ao domínio que não está ligado à terra e não é dependente do solo. Os vermes neste caso, recebem a sua alimentação e estão em um ambiente que já não é anexado ao chão. No entanto, se o fruto dos vermes residir e ainda estar ligado à terra, como as minhocas, eles não têm permissão para serem comidos. Neste caso, os vermes são considerados como residentes em um domínio que é dependente do chão. Neste caso, os vermes são formados por sua alimentação a partir do solo, mesmo que ela seja feita indiretamente.

            De um modo semelhante, quaisquer vermes que são encontrados em um animal kosher depois de ter sido ritualmente abatidos são permitidos para consumo.Nesta situação, os vermes se alimentam do o animal que residem dentro Os vermes recebem a santidade da Luz de D'us através do animal hospedeiro. O animal hospedeiro kosher recebeu sua Luz de Santidade de D’us através do seu abate ritual casher. Antes do abate ritual, qualquer verme encontrado em um animal kosher é proibido para o consumo. A razão para isto é que os vermes deste animal são decorrentes de sua alimentação que não tem os efeitos purificadores do abate ritual. Portanto, o animal hospedeiro carece de retificação espiritual, assim como os vermes que derivam o seu alimento a partir dele.

            A partir da lei sobre vermes encontrados em frutas e animais kosher, podemos ver que a única forma de apegar-se a D'us é ser alimentado pela Luz Divina.Nós também aprendemos com essas leis, que, mesmo que uma pessoa tenha caído tão baixo, que tornando-se tão ligada à esta terra e se torna como um verme, ela não deve se desesperar! Assim como o verme pode atrair para si a Luz de D'us através de seu hospedeiro (seja através de uma fruta ou um animal kosher) e assim se tornar kosher, da mesma forma aqueles que ficam presos na terra podem se tornar kosher e puros se buscarem ajuda daqueles que são espiritualmente mais avançados. Esta regra não se aplica apenas àqueles que estão longe de D'us, mas esta regra se aplica a todos nós, mesmo para aqueles que estão um pouco mais perto de D'us. Quem se atreveria a dizer que eles não precisam crescer e ficarem mais perto de D'us? D'us é Infinito, pois todos nós precisamos sempre renovar nossos esforços para perceber a D’us no próximo nível espiritual. (Lekutai Halachot: Yorah Daya: Hilchot Tolayim 2:1-5).

      OS ALIMEMTOS CONTÉM PARTE DAS FAÍSCAS SANTAS DAS ALMAS

  Todos os alimentos contém fragmentos e faíscas de almas santas. O pecado de Adão e os pecados que cometemos em nossas vidas presentes e passadas causou muitos fragmentos e faíscas em nossas próprias almas fazendo com que fossem espalhados por todo o mundo. Muitas dessas santas faíscas foram incorporadas no alimento que nós comemos. Portanto, quando temos o desejo de comer um determinado alimento, é porque nossos sentidos da alma que é parte de sua essência está incorporado no alimento que desejamos comer. Ao comer este alimento, é preenchido o vazio ou a deficiência na sua alma. Se alguém faz uma bênção sobre o alimento antes e depois que ele come, ele santifica essas faíscas que agora se tornou parte de sua alma. Recitar uma bênção sobre os alimentos tem uma grande influência sobre o desempenho físico e espiritual e a saúde do corpo e da alma.

            Há uma segunda razão pela qual alguém poderia desejar comer um determinado alimento. Caso uma pessoa talvez não tenha fagulhas de sua alma faltando, ela come um determinado alimento, a fim de elevar as almas que estão presas em um determinado alimento. Ao fazer uma bênção sobre os alimentos, antes de comer, ele eleva as almas que estão contidas nesses alimentos. Essas almas agora são absorvidas e incorporadas à sua própria alma. Estas almas recém - adquiridas fornecem poder espiritual e Luz adicional capaz de se aproximar de D'us. Este é o significado do seguinte verso: "O justo (Tzadik) come para satisfazer sua alma" (Provérbios 13:25).

            Os rabinos designaram bênçãos especiais para serem recitadas em frutas e legumes.A razão para isto é que frutas e verduras contêm almas mais preciosas e sagradas do que outros tipos de alimentos. Por isso, frutas e verduras exigem um maior tipo de bênção do que é recitado por comida padrão, que não contêm essas almas santas mais elevados.

            Os rabinos afirmam que a prioridade deve ser dada a comer os sete tipos de alimentos que são específicos para a terra de Israel antes de comer outros tipos de alimentos. Os sete tipos são: trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e mel. A razão para isto é que a terra de Israel é a fonte espiritual para tudo que é santo. Portanto, quando alguém come uma desses, alimentos ele adquire faíscas de alta qualidade que são muito benéficas para a alma de todos.

            Quem come alimentos não – kosher ou come comida sem recitar a bênção apropriada, provoca danos incalculáveis para as almas e todo o universo. Comer alimentos proibidos faz com que os fragmentos de uma alma tornem-se escravos e presos nas forças do mal. Isso faz com que a alma e o corpo sofra muito. Isso inclui até mesmo as pessoas que comem alimentos kosher antes que eles tenham recitado as orações da manhã.

            Adam danificou o mundo inteiro como o resultado de comer o que era proibido para ele. Os judeus no livro de Ester foram quase todos mortos por terem comido alimento proibido na festa do rei persa Achasvairosh. O universo espiritual é todo uma unidade interdependente. Se uma pessoa faz algo errado, ele faz com que o todo fique fora de equilíbrio. A alma de uma pessoa está ligada ao funcionamento interno de todo o universo. A comida que comemos faz efeitos à alma mais do que qualquer outra coisa, portanto, o que comemos e como comemos é muito importante para a estabilidade de todo o universo. (Lekutai Halachot: Orach Chiam: Hilchot Birchot HaPayroth 1) 
                                              
                                  O ALIMENTO CURA E SUSTENTA A ALMA

    A saúde do corpo é dependente da alma. Uma vez um médico muito grande não foi capaz de curar um homem muito doente. O Baal Shem Tov fez sopa para o homem e quando o homem comeu a sopa, ele foi trazido de volta à sua plena saúde. O médico perguntou o Baal Shem, "Como foi possível para você curar este homem? Eu sei que as veias em algumas regiões do corpo dele foram completamente deterioradas e, portanto, era impossível salvar este homem?" O Baal Shem respondeu ao médico: "Você cura as pessoas no nível físico, eu curo as pessoas no nível espiritual. Existem 248 membros no corpo humano, que correspondem aos 248 mandamentos positivos da Torá. Há 365 veias do corpo que correspondem aos 365 mandamentos negativos da Torá. Quando uma pessoa peca com qualquer parte de seu corpo, ele faz com que o membro correspondente espiritual ou veia fique danificado. Quando uma pessoa viola muitos dos 365 mandamentos negativos, que correspondem a 365 veias do corpo, faz com que muitas veias  fiquem danificadas. Isso evita que o sangue circule pelo corpo. Isso coloca a pessoa em grande perigo. Falei com a alma do doente. Perguntei a alma para se arrepender do que fez . Este arrependimento curou as veias danificadas no nível espiritual. Então eu fui capaz de curar o doente a nível físico. (Shevachay Besht)

        AS ALMAS QUE ESTÃO CONTIDAS NOS ALIMENTOS

   Certa vez o neto do santo Baal Shem Tov, Rav Baruch de Mezhbuzh distribuiu peixe para todas as pessoas que comiam com ele em sua refeição de Shabat. Depois que todos terminaram de comer o seu peixe, ele lhes contou a seguinte história verídica: “Era uma vez um jovem estudioso e excepcionalmente brilhante, que era um homem muito temente a D'us. Sua esposa cuidava de uma pequena loja, enquanto ele estudava e orava durante todo o dia em santidade e pureza. Todas as suas ações eram sinceramente por causa dos Céus. O Satan tinha muito ciúme dos resultados alcançados por este homem. Logo, o Satan pediu permissão para o Céu tomarem a alma deste homem e seu pedido foi concedido. O Satan fez o negócio desse casal fluir mais. Agora haviam mais clientes comprando na loja e sua mulher não era capaz de lidar com todos eles. Sua esposa lhe disse: ‘Eu não quero te levar para longe de suas devoções santas, porém eu preciso de sua ajuda. Já não sou capaz de cuidar da loja por conta própria.’ Ele viu que ela estava certa e ele decidiu ajudá-la na loja durante várias horas por dia. Seu negócio melhorou tanto, que ele foi forçado a fazer muitas viagens de negócios para lugares distantes para comprar outros tipos de mercadoria. Suas associações de seus negócios nesses locais eram feitas geralmente com indivíduos muito brutos e pessoas profanas. Isso fez com que o homem acabasse sendo influenciado por essas pessoas. No começo, ele cometeu pecados menores, e depois ele cometeu pecados mais graves. Um dia, durante uma viagem de negócios, ele passou por uma pequena aldeia. Ouviu que uma família judaica inteira foi presa por não ser capaz de pagar o aluguel. Ele pagou ao senhorio a totalidade da soma e a família foi libertada da prisão. Esta boa ação que ele realizou, o levou a pensar sobre o que havia acontecido com ele. Ele pensou consigo mesmo: ‘Eu era muito santo antes de me tornar tão envolvido no negócio. Agora eu caí para as profundezas do pecado. É melhor para mim morrer do que permanecer vivo.’ Ele então imediatamente pulou em um rio e se afogou.

            Houve um grande tumulto no céu sobre a forma de julgar este homem. Havia anjos que apontaram que ele era muito santo, antes dela ficar tão envolvido nos negócios. Além disso, ele salvou uma família inteira judaica e lamentou seus caminhos de pecado no último dia de sua vida. Havia outros anjos que apontaram que ele cometeu tais pecados terríveis em dia de seus negócios e ele acabou cometendo suicídio. A Corte Celestial decidiu que este homem devia ser reencarnado como um peixe. Quando um judeu viria a comê-lo na sua refeição de sábado, sua alma se tornaria completamente corrigida.”

            Rabino Baruch de Mezhbuzh disse a seus convidados que o peixe que muitos tinham acabado de comer à sua mesa de Shabat era a reencarnação do homem da história. Rabi Baruch, em seguida, reuniu um minyan de dez eruditos de Torá para estudar Mishná a noite toda para este homem, a fim de elevar ainda mais a sua alma. (Niflaot HaTzadikim).



“Obra realizada com a permissão de D’us, o Sagrado Abençoado Seja!”

 Direitos reservados A BRESLEV BRASIL
A cópia e uso do conteúdo são permitidos apenas com expressa citação da fonte

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário